sexta-feira, 17 de outubro de 2008

A Culpa é do Fidel


Não fiz nenhuma pesquisa sobre o filme. Ele foi sendo recomendado, por uma, duas, três pessoas ou mais. E eu fui perdendo a oportunidade de vê-lo em uma, duas ou mais salas em que ele esteve em cartaz, no Rio.

Bem, então, finalmente aconteceu. Fui assistí-lo ontem à tarde, numa pequena e linda sala (que possui um arco de pedras no alto) do Paço Imperial, na Praça XV. Fui correndo com medo de perder outra das tantas oportunidades. E valeu! Como valeu a pena!
Um filme que aborda questões históricas e políticas do início da década de 70, tais como o Franquismo, a eleição de Allende no Chile e o fortalecimento do movimento feminista na França. Acontecimentos contados a partir de um microcosmo: a vida de uma pequena família, na França.
Este filme, na verdade, é contado a partir do ponto de vista mais micro possível (digo: até no tamanho), o universo de uma criança que vai crescendo, adquirindo valores e construindo "entendimentos" na sua pequena e rica história de vida.
A menina, personagem central do filme, deveria era ganhar um prêmio de melhor atriz... se não é que já ganhou alguma coisa e eu nem devo estar sabendo. Pois ela dá um banho de interpretação em muito marmanjo por aí. rs
Para mim, nada poderia ter sido mais filosófico do que ver essas transformações históricas e políticas a partir do ponto de vista de um serzinho (muito pensante) que se constitui (e vai se constituindo, ao longo do filme) em meio a complexidade dos fatos e de seus afetos e valores - experiências que geram compreensões e inserções diferenciadas no mundo. E este mundo vai se apresentar repleto de contradições inerentes às culturas e aos contextos histórico e social em que ele/ela vive e participa ao seu modo.
Enfim: "a criança é um sujeito histórico!" Parecia gritar o filme... "E ele ou ela podem possuir uma excelente história à contar."
Um belíssimo trabalho dirigido por Julie Gavras que vale a ver e aplaudir.
Menina MA (mas não tão má. rs)

2 comentários:

Menina F disse...

O filme é para quem não tem medo dos barbudos!

Menina MA disse...

E pior é que acho que tenho um pouco de medo dos barbudos!!! Pelo menos, quando pequena... morria de medo deles. rs